MOOC – Massive Open Online Course

Recentemente tive uma experiência muito gratificante fazendo o curso Human Computer Interaction de Stanford pelo Coursera. E resolvi compartilhar essa experiência citando aqui um pouco sobre a minha visão do assunto.

Mas antes de começar gostaria mesmo que você assistisse esse vídeo para entender um pouco o que está acontecendo atualmente.


Fantástico não?

Isaac Asimov é para mim o Júlio Verne dos tempos “modernos”. Ele inspirou diversos filmes conhecidos da atualidade, como I.A. ou I Robot. Mas, falarei dele em um post que farei especialmente para esse autor.

O interessante é ver que o ensino já está disponível há muito tempo na internet, desde posts como esse que escrevo, até mesmo vídeos inteiros de aulas, como no iTunes U que oferece diversos cursos e aulas das faculdades mais renomadas do mundo, então afinal, o que mudou?

MOOC, é um termo para Massive Open Online Course, isso já existe a algum tempo, são cursos onde milhares de pessoas se inscrevem, é aberto, e alguns emitem certificados para os que concluem os exercícios. Sim, exercícios, é isso que difere de você assistir um tutorial na internet, ler um post como esse, ou estudar por conta. Eu sou um auto didata, sempre fui, e conheço muitas pessoas assim, nunca parei de estudar, e a internet estava sempre lá para me ajudar. Acontece que esse tipo de estudo não emite um certificado, não comprova o seu conhecimento, você será testado a ferro e fogo pelo mercado de trabalho para provar que sabe.

Portanto, emitir um certificado é senão um incentivo maior para aqueles que querem melhorar seus perfis, quer seja para profissionais experientes que queiram mostrar que estão atualizados, ou para aqueles que estão começando.

Muitos me perguntam porque fiz o curso se já sou qualificado e inclusive dou aulas do assunto. Simples, você confiaria em um professor que não estuda? Que não se atualiza? Eu particularmente não.

Mas e o MOOC? Vamos discutir um pouco esse assunto, sabemos que no Brasil existe um grande preconceito com quem faz cursos online, a impressão é de que o sujeito pagou pelo curso e dormiu em casa, recebeu um certificado e pronto. Mas, e quando esse certificado é emitido por faculdades como Stanford, Harvard, ou Berkeley? Creio que muda, infelizmente, isso porque quem ingressa no segmento de E-Learning no Brasil não são as boas faculdades, elas deveriam estar lá, mas não estão, as que estão são aquelas desconhecidas.

O Coursera no meu ponto de vista tem mudado isso, porque para você ter um certificado não basta fazer o curso, você tem que ter um aproveitamento, no caso do curso de HCI, acima de 80%, dos vários exercícios propostos.

Mas, o que achei mais incrível na metodologia é que alunos também participam no sistema de avaliação de outros alunos. Fantástico, explicar aqui no post ficará extenso, por isso trouxe o vídeo maravilhoso e emotivo da Co-fundadora do Coursera, Daphne Koller. Assista e então continue a leitura.

Percebe? Eu também me pergunto sempre se o tradicional sistema de ensino não está arcaico demais. Eu acredito que sim, essa relação professor, lousa e giz versus aluno, caderno e caneta é atrasado demais, perde-se muito tempo lendo e escrevendo, copiando mesmo, e discute-se apenas com poucos, geralmente um grupo mais seleto em uma sala de aula acaba sempre dominando as conversas com o professor. Confesso, eu sempre fui daqueles que respondiam primeiro e interagia com o professor. Mas… também já estive em situações o qual perdi aulas e me vi sem poder fazer uma pergunta sequer, ou ter condições de entender o que estava acontecendo. Com vídeos isso não acontece, você pausa o professor, você pausa o estudo, faz sua própria grade. E muito mais do que isso, você assiste só aquilo que te interessa, não é obrigado a ver uma aula de algo que já sabe ou domina só porque o restante da sala não tem aquele conhecimento. Quantas vezes você já não presenciou a seguinte situação acontecer:

Aluno: “Mas professor, porque você está explicando isso? Esse tema é básico…”

Professor: “Olha, sinto muito, pode ser básico para você mas não é para todo mundo, eu tenho que explicar.”

Isso faz com que aqueles que poderiam estar avançando sejam prejudicados por aqueles que sabem menos (ou pelo menos, que naquele momento não estão tão informados). Por um lado é socialista (sátira é claro), “equilibra” uma sala de aula, mas também, transforma toda uma nação em mediana. Você não está incentivando pessoas que poderiam fazer a diferença para a sociedade, quer seja para o seu país, ou mesmo para o mundo.

Exemplo disso aqui no Brasil é se um aluno eliminar todas as suas matérias do ano, ele não poderá ir para o próximo, ou pular (será necessário uma burocracia absurda junto ao MEC), ele será obrigado a seguir a turma, e fazer a grade do ano.

Se uma pessoa com 12 anos prestar USP e passar, se ela não tiver o ensino médio completo, não poderá ingressar no curso, isso mesmo, está “incapacitada”, mas como? Se ela passou é porque detêm tal conhecimento.

Infelizmente aqui no Brasil ainda é assim, para que você consiga fazer esse aluno de 12 anos cursar a USP será necessário chamar a mídia para facilitar o sistema burocrático.

Isso é ridículo, e digo isso porque fiquei admirado ao ver que nos cursos do Coursera, as melhores universidades do mundo não colocam restrições de idade. E quando terminei o curso de HCI, as estatísticas foram assustadoras.

+26.000 alunos
130 países
700 completaram todas as atividades (não necessariamente atingiram a média)
E o mais surpreendente. Todas as idades.

Eis o certificado como é:

 

Atualmente estou inscrito também no curso Think Again: How to Reason and Argue, e acabei de receber a surpreendente informação de que o curso tem 130 mil alunos, talvez por ser um tema que qualquer um possa participar, ainda assim se tratando de um curso de 12 semanas fiquei muito surpreso.

Discuti com algumas pessoas a respeito do assunto MOOC, e as opiniões foram as mais diversas, entre elas de que o contato com o professor, o cara a cara é  importante. Eu digo, sim é, mas temos que avaliar o valor agregado, o que agrega mais? Como professor também de E-Learning, eu tive alunos de várias partes do país quando ministrei meus cursos de Design, e é gratificante poder fornecer ensino de qualidade a pessoas de lugares afastados, onde o ensino é fraco e pobre. É isso que o Coursera faz, em escala mundial, e de graça. Eu infelizmente tenho que cobrar para dar um curso, não existe outro incentivo para o tempo gasto, no caso do Coursera tiveram o investimento de milhões de dólares, isso é maravilhoso, a idéia deles é depois cobrar um valor somente pelo certificado, todos poderão fazer cursos online e obter o conhecimento, se você precisa do certificado pagará por ele, o valor ainda não sei mas é um sistema justo, afinal, muitos dos cursos que me inscrevi eu não necessito do certificado, pois são cursos de interesse pessoal.

Se você gostou da informação, divulgue, eu espalhei essa informação para todos os meus amigos, alguns gostaram, outros apenas entenderam como mais um curso online. Não estamos só falando disso, MOOC é algo que está revolucionando o aprendizado, a forma como aprendemos.

Para exemplificar, saiba que do curso de HCI eu assisti apenas 20% das aulas, não fiz todas porque a maioria dos temas ali eu já conhecia, não foi necessário para fazer os exercícios que estavam muito bem explicados. Meu tempo foi otimizado, poderei assistir depois sem qualquer compromisso as aulas restantes, e isso é fascinante. 😉

Segue aqui um link que tem diversos MOOCs

Deixo aqui uma frase que repito sempre para aqueles que me dizem “Não tenho tempo…”

“O tempo é igual para todo mundo, 24h, o que você decide fazer com ele é que determina a sua prioridade, se você diz que não tem tempo, é porque isso não é a sua prioridade, mas sim a minha.”

 


One comment

  1. Marilia Ap. dos Santos Ibañez on 4.out.13 at 10:35 am

    Gostaria muito de fazer alguns destes cursos,pois gosto muito de estudar.mas estou com receio de não dar conta.Já fiz vários cursos online,pós graduação.
    Será que dou conta?

Leave a Comment