Gestão de Qualidade – Os princípios de Deming

Objetivo: Este post tem como objetivo dar continuidade a discussão sobre Gestão de Qualidade. Nesse segundo texto vou falar sobre alguns dos princípios de Deming e sua relação com a Gestão de Qualidade.

Gestão de Qualidade – Round 2

Quem foi Deming?

William Edwards Deming, norte-americano, nascido em 14 de Outubro de 1900 foi um renomado estatístico e participou, junto com Joseph Juran, das palestras aos empresários japoneses e colaborou de forma significativa na mudança da economia e posição global do Japão. Uma de suas obras mais conhecida é Qualidade: A Revolução da Administração.

Os princípios de  Deming

Para esse post eu não vou listar os 14 princípios, pois alguns são bem polêmicos e a discussão deles fugiria um pouco do foco na Gestão de Qualidade. Caso tenha interesse em ler todos na íntegra, basta buscar no Google ou comprar o livro citado acima.

Escolhi os 4 princípios abaixo, pois eles dão continuidade ao post anterior sobre a conscientização sobre qualidade e são pontos que, na minha opinião, são fundamentais na construção da Gestão de Qualidade.

3º princípio: Deixe de depender da inspeção para atingir a qualidade. Elimine a necessidade de inspeção em massa, introduzindo a qualidade no produto desde seu primeiro estágio;

9º princípio: Elimine as barreiras entre os departamentos. As pessoas engajadas em pesquisas, projetos, vendas e produção devem trabalhar em equipe, de modo a preverem problemas de produção e de utilização do produto ou serviço;

13º princípio: Institua um forte programa de educação e auto-aprimoramento ;

14º princípio: Engaje todos da empresa no processo de realizar a transformação. A transformação é da competência de todo mundo .

Se você ler atentamente cada um desses princípios vai perceber que um está diretamente ligado ao outro, ou seja, não seguir um acaba fazendo com que o outro também não seja seguido. Mas como seguir esses princípios?

Vamos começar pelo 9º princípio. Dependendo o tamanho da empresa esse é um dos princípios mais fácil de ser seguido, mas ao mesmo tempo um dos mais complexos de ser mantido. O primeiro passo para conseguir eliminar barreiras é fazer com que as pessoas se entendam, ou seja, que uma área entenda o que a outra faz e consigam falar a mesma “língua”, pois sem isso a comunicação se torna limitada e você terá uma nova barreira a ser derrubada. Uma vez que todos conseguem ter uma noção de cada pedaço do processso a ponto de conseguirem discutir os projetos, problemas e soluções de forma clara e produtiva, é preciso saber como utilizar isso para a melhoria da qualidade e é nesse ponto que o 14º princípio entra, o engajamento de todos para a transformação.

Uma vez que esses 2 princípios são incorporados à empresa e conseguem realmente ser mantidos, todos os outros ficam mais fáceis. Isso por que a disseminação de conhecimento, envolvimento e comprometimento de todos será muito maior. Entra em cena o 13º princípio, onde todos sentirão a necessiade de se aprimorar e, automaticamente, disseminarão o novo conhecimento a toda equipe  e, consequentemente,  a empresa terá um padrão de qualidade cada vez maior pois terá uma equipe motivada, bem instruída e multifuncional.

Quando a empresa consegue chegar nesse nível de maturidade, entendendo, seguindo e mantendo o 3º, 13º e 14º princípio, o 3º se torna quase automático para todos os processos e pessoas envolvidas, pois esse princípio nada mais é do que o reflexo da maturidade da Gestão de Qualidade da empresa.

No caso de TI, a “inspeção” seria o teste então, a “inspeção em massa” seria a execução de vários testes. Claro que não se pode deixar de testar, mas pode-se minimizar a necessidade de testar. Como? Simples, envolvendo a gestão de qualidade no início do processo, para que o “erro” seja encontrado quando ele ainda é uma idéia ou um requisito e o impacto baixíssimo para que assim, os testes sejam focados na parte mais técnica e funcional, uma vez que houve uma excelente cobertura e entendimento das regras de negócio e necessidade do cliente no início do projeto.

Como exercício, tente levantar o que precisaria ser feito e/ou mudado em você e na sua empresa para que esses princípios fossem seguidos e qual a complexidade disso…